Química do dia-a-dia

Pequenos exemplos de como a química está em tudo a nossa volta (e dentro de nós também!!!)

8 minutos O grande Willian Shakespeare é um nome que fala por si só. Alguém que nunca leu uma linha de suas famosas obras, como Romeu e Julieta, Rei Lear, Otelo, sabe ao menos quem foi esse grande dramaturgo. Mas o que pouca gente sabe, inclusive seus fãs, é que podemos encontrar “uma química” muito interessante em suas obras. Não sabiam? Vou mostrar alguns exemplos bem interessantes no post de hoje, então … não feche a página e continue lendo. Valerá a pena. Com certeza, Continue lendo

10 minutos Vocês se lembram do marinheiro Popeye? Com certeza quem foi criança nos anos 80 e 90 assistiu muitas aventuras desse marinheiro, tanto na Xuxa, quanto em algum programa do SBT (ou nos dois, porque teve época em que ambas as emissoras exibiam Popeye no mesmo horário). Popeye era um marinheiro marrento, brigão, ranzinza, tabagista inveterado (pois nunca largava seu cachimbo), feio, e com um namoro extremamente conturbado com a Olívia Palito. Todas essas “qualidades” estavam presentes na época do Popeye “politicamente correto”, Continue lendo

10 minutos (…)Recolhei dentre vós uma contribuição para Jeová. Cada um de coração disposto traga como contribuição pertencente a Jeová, a saber, ouro e prata, e cobre, e linha azul, e lã tingida de roxo, e fibras carmíneas, e linho fino (…)  e pedra de ônix e pedras de engaste para o éfode e para o peitoral. Êxodo 35:5 – 9, Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas Como cristão sempre achei muito interessante esse texto. Ele narra o que os israelitas deveriam arrecadar Continue lendo

10 minutos Vocês já ouviram falar em morfina? É um potente analgésico, que provoca dependência física e psíquica (é um daqueles temíveis remédios “tarja preta”, sabem?). Por causar dependência, só é receitado em situações extremas, como no caso de aliviar as terríveis dores de pacientes com câncer (tive contato com esse fármaco quando meu pai teve de usá-lo …). A morfina, como substância pura, é conhecida a uns dois séculos, mas como mistura já é utilizada a muito mais do que isso. Ela é Continue lendo

11 minutos Por favor, antes de ler esse post olhem rapidamente ao seu redor … você pode não perceber, mas com certeza existem vários materiais condutores de energia elétrica a sua volta (a menos que você esteja lendo esse post numa versão impressa, numa praia ou em um bosque, mas creio que isso seja muito pouco provável). De fato, a vida hoje não seria a mesma sem a eletricidade, e a prova disto é o nossa angústia e desespero quando falta luz, em especial à noite. Continue lendo

9 minutos Como nadador aplicado que era, Robert Langdon muitas vezes tinha imaginado como seria morrer afogado. Sabia agora que estava fadado a experimentar na própria pele. Embora conseguisse prender a respiração por mais tempo do que a maioria das pessoas, já podia sentir o corpo reagindo à ausência de ar. O dióxido de carbono se acumulava em seu sangue, trazendo consigo a ânsia instintiva de inspirar. (…) Os pulmões de Langdon expeliram seu conteúdo, contraindo-se em uma ansiosa preparação para inspirar. Ainda assim, ele Continue lendo

11 minutos Acho que se existisse um ranking dentre as principais perguntas que os alunos fazem aos professores de química, com certeza “como faço uma bomba?”, ou similares, ocuparia os primeiros lugares. Isso tem a ver um pouco com o estereótipo dos professores de química, com seus jalecos brancos misturando alguns líquidos coloridos no laboratório, até a hora que uma dessas misturas explodem. Na verdade química e explosivos tem tudo a ver, mas não é por isso que os professores de química vão ficar Continue lendo

7 minutos No último artigo do Ensinando & Aprendendo eu falei um pouco sobre o papel dos antibióticos baseados em anéis do tipo β-lactama, que incluía a penicilina G e seus derivados. Outra classe muito interessante de moléculas com atividade antibiótica (neste caso específico, poderia ser considerado como antimetabólica) são as sulfas, ou as derivadas da sulfanilamida. Como o próprio nome indica, essa classe de compostos possui um átomo de enxofre (por isso o radical sulf), e a descoberta da atividade dessas moléculas foi bem Continue lendo

8 minutos Imaginem uma sociedade com expectativa média de vida entre 30 e 40 anos. Bem pequena para a nossa realidade, não é? Vocês podem estar imaginando que esta sociedade está em alguma espécie de guerra civil ou pertence a algum país muito pouco “desenvolvido” (se é que posso usar esse termo). Na verdade essa era a expectativa de vida de muitos países bem desenvolvidos e paz, há algumas décadas atrás. Por exemplo, em 1865, no finalzinho do século XIX, a expectativa de vida Continue lendo

9 minutos Vocês já ouviram falar em resinas epóxi? Acredito que para a maioria dos leitores esse nome não seja muito familiar, a não ser que trabalhe com elas no recobrimento de pisos, ou estude química a algum tempo. Agora, e se eu perguntasse se você conhece Durepoxi®? Esse nome é mais conhecido, ou estou enganado? Durepoxi é o nome comercial de um tipo de resina epóxi (por isso Durepoxi) comercializada pela empresa Loctite, a mesma que comercializa a igualmente famosa cola adesiva Super Continue lendo

9 minutos Vocês conhecem a hortênsia? Não, não é a jogadora de basquete não. Essa seria Hortência, com “c”, a hortênsia que eu me refiro é um tipo de flor, a hydrangea macrophylla. Essa é uma flor originária do oriente, mas hoje é comum em muitas partes do mundo como planta ornamental. Elas são muito bonitas, e formam um arranjo de pequenas pétalas rosas … ou melhor, de pétalas azuis … ou são rosa? Na verdade existem hortênsias azuis e hortênsias rosas. Podemos ver Continue lendo

9 minutos Imaginem uma terrível doença, cujos sintomas são exaustão, fraqueza, inchaço nos membros, diarreia e dores musculares. Além de todos esses desconfortos, a pessoa doente perde completamente sua autoestima quando vê seus dentes caindo, sua gengiva amolecendo, e percebe um hálito pútrido saindo de sua boca. Nos estágio mais avançados seu fígado e seu pulmão ficam comprometidos. Depois de todos esses estragos físicos, a mente da pessoa também começa a ser destruída ao entrar um quadro de depressão (na verdade com tudo isso Continue lendo

11 minutos Quem não gosta de uma comida bem temperada? E comida temperada tem que ter ao menos um pouco de pimenta! Aqui no Brasil a variedade de pimenta é bem ampla. Tem pimenta verde, vermelha, amarela, alaranjada; pimenta longa, final, gordinha, curta, pequena, grande … Tem gente que prefere pimentas mais leves como a pimenta-do-reino, pimenta biquinho, outros querem algo mais “quente”como a pimenta calabresa, ou a pimenta malagueta. Seja como for, a pimenta que hoje pode estar presente em nossos pratos a Continue lendo

8 minutos Imaginem os grandes edifícios espalhando por todo o mundo … uma das marcas de nossa civilização atual. Esses prédios ostentam poder e beleza. Uns com seus modelos exóticos que tendem a desafiar a gravidade, outros mais tradicionais. Alguns parecem praticamente todo revestido de vidro. Diga-se de passagem, revestidos com vidro “inteligente”, com janelas fotocromáticas que se adaptam à luminosidade externa, clareando ou escurecendo o ambiente interno. Mas por falar em janelas, já pararam para pensar como essas janelas são limpas? Bom … Continue lendo

10 minutos Câncer … esse nome sempre carrega em si sentimentos de medo, sofrimento e tristeza … mas quem o vence, agrega a seu nome o sentimento de vitória e superação. Sem dúvidas é um doença terrível, e hoje em dia muito mais comum que há algumas décadas atrás. As possíveis causas para esse aumento podem estar correlacionadas com os nossos novos hábitos de vida, incluindo principalmente a má alimentação. Mas nem tudo são más notícias. Se por um lado o número de casos Continue lendo

11 minutos Radical – acho essa palavra muito interessante. Ela existe em praticamente todas as áreas do conhecimento, porém sempre com um significado diferente. Em matemática está relacionada a operação de radiciação (raiz quadrada, cúbica, etc); em biologia está também relacionada a raiz, mas desta vez, a raiz de um vegetal; em língua portuguesa (ou línguas em geral), está relacionado à parte fundamental de cada palavra, ou seja a raiz da palavra. Por exemplo, casa, casarão, casebre, casinha, todas possuem o mesmo radical, ou Continue lendo

11 minutos Quando você escuta a palavra ácido, o que vem a sua mente? Bom … hoje como professor eu responderia que a primeira imagem que surge na minha mente é o íon H+ (próton), ou o H3O+ (hidrônio). Digo isto porque penso no conceito químico de ácidos (em especial no conceito de Arrhenius). Mas nem sempre foi assim … caso me fizessem essa pergunta quando eu estava lá no ensino fundamental, ou mesmo no ensino médio, a primeira imagem que viria em minha Continue lendo

7 minutos Você conhece a molécula chamada talidomida? Bom … eu creio que não, ao menos eu não conheceria. Essa molécula foi (e ainda é) usada como fármaco, porém já causou desastres incompensáveis! Na década de 50, nos Estados Unidos, ela era usada como sedativo comum. Sabe, aqueles remédios que compramos corriqueiramente, e acreditamos que são seguros, sem contra-indicações, e que funcionam? Como medicamento, a talidomida era usada para combater a insônia, afinal era um sedativo, mas também ajudava a combater o enjoo característico Continue lendo

14 minutos Há a alguns dias eu publiquei um artigos mostrando as reações químicas que ocorrem dentro de uma pilha comum. Caso você ainda não tenha lido, sugiro que dê uma olhada rápida no artigo Reações de “Oxi-Redução espontâneas” – nome complicado não? E pilha, você entende?. Lá eu defino alguns termos importantes como anodo, catodo, eletrólito, pólo positivo e pólo negativo. Também chamei atenção que a voltagem de uma pilha depende principalmente do tipo de reação que ocorre dentro dela, e não da quantidade Continue lendo

10 minutos No Ensino Médio temos a oportunidade de estudar as reações de oxi-redução (ou redox), que são reações em que existe transferência de elétrons. Dependendo do quanto nós estudamos já ouvimos termos como oxidação, redução, agente redutor, agente oxidante, e talvez tenhamos aplicado o temível método do íon-elétron (que não é tão temível assim). O que, às vezes, não nos damos conta é que essas reações de oxi-redução são extremamente comuns no nosso dia-a-dia, seja por estar presente em vários aparelhos eletrônicos, seja Continue lendo